26 de setembro de 2011

Acessos de comunidades de Aracruz ligadas a rodovias estaduais correm o risco de ser fechados em Barra do Riacho - Aracruz

  Acessos de comunidades de Aracruz ligadas a rodovias estaduais correm o risco de ser fechados. O alerta é da ONG Amigos da Barra do Riacho. Os moradores lamentam que o acesso que ligava a aldeia indígena Pau-Brasil ao vilarejo Barra do Riacho, há mais de 100 anos, acabe simplesmente para atender ao interesse econômico. “Não somos contrários ao desenvolvimento, desde que seja sustentável e de boa vizinhança”, afirmam os componentes da ONG.

   Os moradores afirmam, ainda, que a ONG vem há vários anos se manifestando e pedindo a construção de dois viadutos, um ao sul de Barra do Riacho, junto à Portocel, e outro a noroeste. Essa construção, segundo os moradores, resolveria o problema da comunidade, que fica à mercê de trens que fecham os acessos, provocando transtornos. A urgência é a sinalização do local, uma passagem de nível que corta a linha férrea da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), que dá acesso à rodovia ES-010, saindo do bairro Xique-Xique e vice-versa.
   A comunidade também está temendo um problema grave, como não poder se deslocar devido a um eventual vazamento químico provocado pelas indústrias que cercam o local. Em caso de atropelamento também não haveria socorro, já que não há hospital próximo.
   “Se não for desta forma, respeitando o direito de nossa comunidade, de ir e vir, não restará outra forma a não ser liberar os nossos acessos como foi feito pelos moradores neste decorrente ano”, afirmou a ONG, lembrando os mutirões organizados pela comunidade para cobrir um “valão” que impedia o acesso.
   A falta de acessibilidade para os centros urbanos e florestais vizinhos teria sido parcialmente resolvida, em 2008, quando um acordo foi firmado entre prefeitura de Aracruz, Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), Aracruz Celulose (Fibria) e Associação Comunitária de Barra do Riacho (ACBR). O conflito havia sido iniciado a partir da venda de uma determinada área que pertencia à Fibria para a empresa Nutripetro.
Aguardando um projeto
Segundo a associação, o terreno já pertencia à própria comunidade, atualmente com mais de 10 mil pessoas que dependem da utilização dessa via. Um dos acessos é justamente a ligação de Barra do Riacho à rodovia ES-010 pelo bairro Xique-Xique. No dia, 9 de julho de 2008, essa ligação foi concedida, por meio de oficio, pela Fibria.
   Depois de uma reunião proposta pela empresa, com o objetivo de fixar prazos e responsabilidades, a comunidade pediu à prefeitura iluminação e, em seguida, a pavimentação do acesso. O presidente da ACBR, Paulo Flávio Machado, garantiu que o acordo ainda não foi cumprido pela administração municipal, que chegou a fazer um orçamento, mas não executou.
  A Nutripetro informou à comunidade que está elaborando um projeto para a construção de um trevo no local, com a devida sinalização, no sentido de facilitar o tráfego, tanto de pedestres quanto de veículos. Além dos moradores de Barra do Riacho, também utilizam o acesso moradores de aldeias indígenas e outras comunidades vizinhas.

FONTE: ONG AMIGOS DA BARRA DO RIACHO & SECULO DIARIO

0 comentários:

add nosso Blog e fique bem informado

. - .